Júpiter

Fotografia: NASA JPL

Fotografia: NASA JPL

Factos e Números

Descoberto por: conhecido desde os nossos antepassados
Data da descoberta: desconhece-se
Distância ao Sol: 740 742 600 km (periélio) – 816 081 400 km (afélio)
Comparação com a Terra: 147 100 000 km (periélio) – 152 100 000 km (afélio)
Diâmetro: 142 984 km
Comparação com a Terra: 12 756,28 km
Circunferência equatorial: 449 197 km
Comparação com a Terra: 40 075 km
Volume: 1 425 500 000 000 000 km3
Comparação com a Terra: 1 083 200 000 000 km3
Massa: 1 898 700 000 000 000 000 000 000 000 kg
Comparação com a Terra: 5 973 700 000 000 000 000 000 000 kg
Densidade: 1,33 g/cm3
Comparação com a Terra: 5,515 g/cm3
Área da superfície: 62 179 600 000 km2
Comparação com a Terra: 510 065 700 km2
Velocidade Orbital: 47 051 km/h
Comparação com a Terra: 107 229 km/h
Duração do dia: 0,41354 dias terrestres (9,925 horas)
Duração do ano: 11,8565 anos terrestres (4330,6 dias)
Circunferência orbital: 4 774 000 000 km
Comparação com a Terra: 924 375 700 km
Temperatura à superfície: -148ºC
Comparação com a Terra: -88ºC / 58ºC
Gravidade à superfície: 20,87 m/s2
Comparação com a Terra: 45 kg na Terra = 97 kg em Júpiter
Luas: 62
Comparação com a Terra: 1

Dentro de Júpiter há espaço para umas 1 300 Terras, fazendo deste gigante gasoso o maior planeta do Sistema Solar. Este planeta gira tão rapidamente em torno do seu eixo (não chega a demorar 10h), que o seu globo é bastante achatado nos pólos.

Júpiter está coberto de camadas de hidrogénio, espalhadas por todo o globo e em constante movimento. Estas nuvens e tempestades formam várias cores e algumas manchas ovais, sendo mais conhecida a Grande Mancha Vermelha, um enorme furacão que já se encontra activo há, pelo menos, 300 anos. Esta tempestade tem mais do dobro do tamanho da Terra, e é uma das atracções dos astrofotógrafos.

Por baixo das camadas de nuvens, não existe uma superfície sólida, como nos planetas rochosos (Mercúrio, Vénus, Terra e Marte). Existe sim um vasto oceano de hidrogénio quente e líquido, ao qual se segue uma camada desse mesmo hidrogéneo mas já na forma de metal. O núcleo, crê-se, é uma rocha fundida 6 vezes mais quente que o próprio Sol.

Júpiter, à semelhança dos restantes gigantes gasosos (Saturno, Urano e Neptuno) possui anéis em seu redor (mais informações).

Observar Júpiter

Fotografia: Marco Joaquim

Fotografia: Marco Joaquim

Quando visível, Júpiter é uma “estrela” prateada e muito brilhante. De todos os planetas que podes ver à vista desarmada, Júpiter é aquele que se assemelha mais a planeta e menos a estrela, dado que o seu tamanho e quantidade de luz que reflecte, fazem-no aparecer no céu como um disco.

Através de uns bons binóculos, a forma do planeta torna-se inconfundível e já podes ver também as 4 maiores luas, como pequenos pontos em torno de Júpiter.

Um telescópio já te mostra mais detalhes do planeta: a sua forma achatada, as cinturas de nuvens gasosas e tempestades como a Grande Mancha Vermelha, quando esta se encontra do lado visível do planeta. Como é lógico, quanto maior a potência de um telescópio, maior quantidade de detalhes se podem observar.

Das luas observáveis a partir de telescópios amadores, encontram-se Io, Europa, Ganymedes, Calisto (pequeno telescópio), Amalthea e Himalia (telescópio grande). Para as restantes, só equipamentos profissionais.