Neptuno

Fotografia: NASA JPL

Fotografia: NASA JPL

Factos e Números

Descoberto por: Johann Galle
Data da descoberta: 1846
Distância ao Sol: 4 459 630 000 km (periélio) – 4 536 870 000 km (afélio)
Comparação com a Terra: 147 100 000 km (periélio) – 152 100 000 km (afélio)
Diâmetro: 49 528 km
Comparação com a Terra: 12 756,28 km
Circunferência equatorial: 155 597 km
Comparação com a Terra: 40 075 km
Volume: 62 526 000 000 000 km3
Comparação com a Terra: 1 083 200 000 000 km3
Massa: 102 440 000 000 000 000 000 000 000 kg
Comparação com a Terra: 5 973 700 000 000 000 000 000 000 kg
Densidade: 1,76 g/cm3
Comparação com a Terra: 5,515 g/cm3
Área da superfície: 7 640 800 000 km2
Comparação com a Terra: 510 065 700 km2
Velocidade Orbital: 24 607 km/h
Comparação com a Terra: 107 229 km/h
Duração do dia: 0,67125 dias terrestres (16,11 horas)
Duração do ano: 164,79 anos terrestres (60 190 dias)
Circunferência orbital: 28 142 000 000 km
Comparação com a Terra: 924 375 700 km
Temperatura à superfície: -214ºC
Comparação com a Terra: -88ºC / 58ºC
Gravidade à superfície: 10,71 m/s2
Comparação com a Terra: 45 kg na Terra = 50 kg em Neptuno
Luas: 13
Comparação com a Terra: 1

O último planeta do Sistema Solar, e também o mais pequeno dos 4 gigantes, está tão longe do Sol e da Terra que demorarías, à velocidade de um Concorde, mais de 200 anos a lá chegar. Em 1613, Galileu já tinha observado Neptuno, mas registou-o como uma estrela fixa, pelo que só em 1846 foi oficialmente descoberto, por Galle, utilizando as previsões matemáticas de Le Verrier, cujos estudos baseados na órbita de Urano tinham sido literalmente ignorados.

Só se começou a conhecer bem este planeta após a chegada da Voyager 2, em 1989. Até lá, as imagens disponíveis não mostravam mais que um pequeno globo azul esverdeado, sem pormenores ou destaques. A Voyager, porém, revelou uma verdadeira pérola azul com o clima mais violento de todo o Sistema Solar, com ventos 10 vezes mais rápidos que os ciclones mais poderosos à face da Terra.

A cor azul viva de Neptuno ainda permanece um mistério. A composição da atmosfera é idêntica à de Urano (metano), mas existe algum componente desconhecido que intensifica a cor azul em Neptuno. A Voyager fotografou também uma Mancha parecida com a de Júpiter, com aproximadamente o tamanho da Terra, mas fotografias posteriores captadas pelo Hubble não a voltaram a encontrar. Uma mancha idêntica apareceu em 1994 no hemisfério norte do planeta, mas também desapareceu, em 1997.

Observar Neptuno

Fotografia por: Lynn M Laux

Fotografia por: Lynn M Laux

Pela distância a que se encontra da Terra, é totalmente impossível localizares Neptuno à vista desarmada. Para o identificares como uma estrela (tal como fez Galileu), precisas de um bom par de binóculos ou um telescópio pequeno. Para conseguires observar a cor azulada, só com telescópios de aberturas superiores a 150mm.

Um telescópio grande também alcança a maior lua de Neptuno, Tritão, cujo brilho é muito semelhante ao de Plutão. Quanto aos anéis, é impossível, a própria Voyager 2 a passar por lá, teve de ajustar a luminosidade para os conseguir fotografar convenientemente.