Vénus

Fotografia: NASA JPL

Fotografia: NASA JPL

Factos e Números

Descoberto por: conhecido desde os nossos antepassados
Data da descoberta: desconhece-se
Distância ao Sol: 107 476 000 km (periélio) – 108 942 000 km (afélio)
Comparação com a Terra: 147 100 000 km (periélio) – 152 100 000 km (afélio)
Diâmetro: 12 103,6 km
Comparação com a Terra: 12 756,28 km
Circunferência equatorial: 38 025 km
Comparação com a Terra: 40 075 km
Volume: 928 400 000 000 km3
Comparação com a Terra: 1 083 200 000 000 km3
Massa: 4 868 500 000 000 000 000 000 000 kg
Comparação com a Terra: 5 973 700 000 000 000 000 000 000 kg
Densidade: 5,24 g/cm3
Comparação com a Terra: 5,515 g/cm3
Área da superfície: 460 200 000 km2
Comparação com a Terra: 510 065 700 km2
Velocidade Orbital: 126 077 km/h
Comparação com a Terra: 107 229 km/h
Duração do dia: -243 dias terrestres (5832 horas), retrógrado
Duração do ano: 0,615 anos terrestres (224,7 dias)
Circunferência orbital: 675 300 000 km
Comparação com a Terra: 924 375 700 km
Temperatura à superfície: 462ºC
Comparação com a Terra: -88ºC / 58ºC
Gravidade à superfície: 8,87 m/s2
Comparação com a Terra: 45 kg na Terra = 41 kg em Vénus

Vénus é o planeta mais próximo da Terra e também o mais parecido… com o Inferno.

Tem a temperatura mais alta de todos os planetas, capaz de derreter chumbo, uma vez que as nuvens densas formam um poderoso efeito de estufa (motivo pelo qual consegue ser mais quente que o próprio Mercúrio). O ar, por sua vez, é tão denso que te esmagaria (salvo seja) em poucos segundos. Caso fosse possível sobreviveres a isso, serias logo de seguida assado e queimado pelo ácido sulfúrico concentrado, principal constituintes das nuvens do planeta.

A única sonda que aterrou em Vénus, a Venera 13 (Rússia), só sobreviveu na superfície durante 127 minutos, tempo que aproveitou para mostrar uma superfície desértica, laranja, com rochas partidas resultantes de fluxos de lava e um ambiente semelhante a um dia enevoado na Terra, dada a pouca luz que consegue atravessar a camada de nuvens. As nuvens reflectem grande parte da luz solar, e por isso através da Terra, Vénus é a “estrela” mais brilhante do céu.

Tirando estas condições extremas, Vénus é efectivamente parecido com a Terra. Por baixo das camadas de nuvens ácidas, encontra-se um mundo de continentes e planícies. A diferença é que na Terra essas planícies são oceanos de água e em Vénus oceanos de lava.

Observar Vénus

Fotografia: Carlos Gandra

Fotografia: Carlos Gandra

Vénus consegue ser o objecto mais brilhante do céu nocturno (a seguir à Lua), e por isso é fácil de o localizares quando está visível a partir do teu ponto de observação. O brilho é tão intenso que chega a ser prejudicial aos olhos.

Tal como Mercúrio, Vénus também se apresenta em fase, pois situa-se entre a Terra e o Sol. Quanto mais próximo está da Terra, menor a área iluminada que vês. Não é possível a partir da Terra ver Vénus “cheio”, pois nessa altura está do lado oposto do Sol.

A melhor ocasião para observares Vénus é ao anoitecer ou ao amanhecer. É possível observar à noite, mas num céu demasiado escuro, a grande quantidade de luz que as nuvens de Vénus reflectem, ofuscam a visão e por vezes é complicados distinguir a forma redonda do globo.

Uns bons binóculos são suficientes para identificares a fase em que se encontra o planeta, e um pequeno telescópio torna a fase bem mais evidente. No entanto, através de binóculos ou telescópio não consegues ver qualquer tipo de característica, como mostrado na fotografia acima. Apenas com telescópios potentes será possível, ainda que de forma esbatida, notar algumas características das nuvens (zonas mais claras e outras mais escuras).